Trab. Previdência

Previdência vai apertar fiscalização de serviços

Não bastou ao governo editar a Medida Provisória 232 que aumentou a taxação sobre as empresas prestadoras de serviços. Agora, o Ministério da Previdência ficará em cima dessas empresas, que já tiveram o peso da CSLL ampliado de 32% para 40%. A atenção especial dos fiscais da Previdência estará voltada primordialmente para as grandes empresas, mas as micro e pequenas empresas não estão livres de ações rigorosas do ministério.
No ano passado, a Previdência conseguiu arrecadar R$ 1,07 bilhão com a fiscalização de 19 grandes empresas de todos os setores ? industrial, agropecuário e de serviços. Neste ano, essas empresas serão novamente auditadas e terão a companhia de outras. ?Há várias empresas que ficaram de fora que agora vamos auditar?, afirmou o secretário de Receita da Previdência, José Roberto Pimentel.
O ministério vai se utilizar das informações prestadas pelas empresas na tentativa de garantir o pagamento integral dos tributos devidos. Inicialmente a Previdência analisará as declarações de contas apresentadas pelos empresários. Depois, vai comparar essas informações com o pagamento efetivo dos tributos. As empresas que estiverem em situação irregular receberão uma comunicação do governo por correio eletrônico para que regularizem sua situação. Se os empresários não se manifestarem e regularizarem sua situação, serão inscritos na dívida ativa.

Print Friendly, PDF & Email
Americanas

Comentário fechado