Tributária

Operação investiga família suspeita de lavagem

Paulo Yafusso
CAMPO GRANDE. Mais de 80 policiais federais e auditores da Receita Federal de Mato Grosso do Sul foram mobilizados ontem para a Operação Pégasus, desencadeada para cumprir mandados de busca e apreensão em 19 endereços em Campo Grande (MS) e dois em São José do Rio Preto (SP). Os endereços pertencem a sete pessoas da família Sebben, que estão sob suspeita de envolvimento com lavagem de dinheiro, remessa ilegal de dinheiro para o exterior e sonegação fiscal. Durante a operação, Wanderlei Sebben foi preso e autuado por porte ilegal de arma e uso de entorpecente. Com ele foi apreendida pequena quantidade de droga.
Segundo a PF, as sete pessoas mantinham empresas de comércio de jóias, agropecuárias e factorings que eram usadas para lavagem de dinheiro e sonegação. Elas pertenceriam a um esquema que, desde 1997, teria enviado ilegalmente para contas bancárias no exterior cerca de US$ 30 bilhões, por meio de contas CC-5 em Mato Grosso do Sul e Paraná. Em Mato Grosso do Sul, 55 pessoas estariam na lista dos investigados pelo Ministério Público Federal.

Print Friendly, PDF & Email
Americanas

Comentário fechado