Corporativa

Prazo para auditoria não foi adiado

Lucia Rebouças

São Paulo, 22 de Março de 2005 – Prorrogação da data de implantação foi apenas para os controles internos previstos na lei. A prorrogação do prazo para o cumprimento das exigências da Lei Sarbanes-Oxley (SOX) para as empresas brasileiras, que têm ações negociadas em bolsas dos Estados Unidos, vale apenas para a Seção 404 da lei (implantação de controles internos). A seção 301 – que trata da criação dos comitês de auditoria ou de uma estrutura correspondente – não foi prorrogada. O prazo final continua sendo 31 de julho próximo.
O alerta foi feito pelo sócio da área de auditoria da Deloitte, Bruce Mescher. Segundo ele, as penalidades para as empresas que não cumprirem as exigências são severas. Entre elas, está prevista, inclusive, a perda do direito de negociar suas ações nas bolsas internacionais, afirma.
Para a empresa, o desligamento traria impactos muito negativos porque isso fere diretamente sua imagem em termos de governança corporativa, com sua conseqüente desvalorização aos olhos dos acionistas. Das cerca de 40 empresas que precisam se adaptar, a maioria ainda não o fez, informa.
Só os bancos estão mais adiantados no processo de implantação da SOX. Eles já criaram seus comitês de auditoria porque a medida fazia parte de resolução já implantada pelo Banco Central.

Print Friendly, PDF & Email
Americanas

Comentário fechado