Tributária

Empresário de pequena construtora entusiasma-se com Lei Geral

Para Sérgio Lara, o maior orgulho como empresário é poder cumprir as obrigações fiscais, mesmo diante das dificuldades de burocracria e elevada carga tributária

Beth Matias

São Paulo –
O empresário paulista Sérgio Lara acredita que a Lei Geral será uma grande oportunidade para que as pequenas empresas no País possam crescer, cumprindo todas as obrigações fiscais, com apoio e capacitação. No depoimento realizado durante o lançamento da Frente Empresarial pela Lei Geral das Micro e Pequenas Empresas, nesta terça-feira (12), em São Paulo, Lara disse que um dos seus maiores orgulhos é cumprir religiosamente suas obrigações fiscais.

Lara tem uma pequena construtora em São Paulo e é sócio da EControl, uma empresa que desenvolve soluções no monitoramento de áreas sensíveis e produtos perigosos, ajudando a proteger o meio ambiente. A EControl é uma das 110 empresas que fazem parte do Cietec (Centro Incubador de Empresas de Tecnologia), que funciona dentro da USP (Universidade de São Paulo) e tem o apoio do Sebrae.

?Eu tenho orgulho de ter uma construtora com 100% de emissão de notas fiscais. Até para vender R$ 0,10 nós precisamos pagar impostos. Fazemos isso com uma dificuldade gigantesca pois nos últimos oito anos a carga tributária dobrou?.

Segundo o empresário, ele começou com uma microempresa e o sucesso veio rapidamente. ?Logo viramos pequena empresa e os nossos custos tributários foram quintuplicados. O salário do nosso contador passou de R$ 600 para R$ 3 mil, já que a burocracia também quintuplicou?.

Para Lara, o teto de R$ 3,6 bilhões para o enquadramento da pequena empresa está adequado ao faturamento das pequenas. ?Além disso, com aprovação da Lei Geral não estarei mais preocupado em deixar de ser pequeno?.

Print Friendly, PDF & Email
Americanas

Comentário fechado