Corporativa

Instrução da CVM não altera balanço da Petrobras, diz diretor financeiro da empresa

Cristina Índio do Brasil
Repórter da Agência Brasil

Rio – O diretor da Área Financeira e de Relações com o Mercado da Petrobras, José Sérgio Gabrielli, garantiu que a empresa não vai alterar o balanço dos lucros de 2004 por causa da aplicação da Instrução nº 408 da Comissão de Valores Mobiliários (CVM), que obriga as empresas a consolidarem em seus balanços, todas as sociedades de propósito específico, que tenham relação com a empresa principal.

Gabrielli disse que houve um equívoco na divulgação do assunto pela imprensa na semana passada. Ele explicou que a Instrução entrou em vigor em 1º de janeiro deste ano e portanto, influenciará o resultado desse 1º trimestre. "Para compararmos com 2004 não podíamos comparar laranjas com bananas. Então, tínhamos que fazer um cálculo pró-forma que é um cálculo sobre os resultados de 2004, se essa resolução estivesse em vigor", disse.

O dirigente acrescentou que como a resolução não estava em vigor em 2004, a sua aplicação não implica alteração nos dados do ano. Gabrielli informou que para fins de comparação estatística homogênea entre os números do 1º trimestre de 2005, sob a vigência da Instrução CVM 408, com os números do ano anterior, tratou-se apenas de um ajuste necesário para fazer comparações, sem alterações do resultado da empresa em 2004. "Isso não é uma revisão do balanço de 2004. Não há nenhuma revisão do documento. Não há nenhuma alteração dos impostos. Não há nenhuma alteração dos dividendos. Isso é importante ficar claro. Não há possibilidade alguma disso ocorrer por este motivo", enfatizou.

Print Friendly, PDF & Email
Americanas

Comentário fechado