Tributária

Justiça mantém suspensos benefícios fiscais concedido indevidamente

A Procuradoria Federal junto à Agência de Desenvolvimento do Nordeste (Adene), que substituiu a extinta Superintendência de Desenvolvimento do Nordeste (Sudene), conseguiu (20/06) na Justiça manter a suspensão dos benefícios fiscais concedidos à empresa Aracruz Celulose S/A, com sede no sul do Espírito Santo. A Diretoria Colegiada da Adene cancelou todos os laudos emitidos em favor de empresas fora da área de atuação da Sudene. A Sudene concedia incentivos fiscais às empresas instaladas ou com intenção de se instalar no nordeste, para viabilizar o desenvolvimento da região.Segundo . . .

Este conteúdo é restrito a assinantes.

Por favor, faça seu login.

Não é assinante? Faça agora sua assinatura!

Americanas