Corporativa

Perícia em serviço de cartão de crédito, ainda que contábil, deve ser feita com conhecimento técnico

O perito deve possuir idoneidade e conhecimento técnico na matéria sobre a qual irá se pronunciar, sob pena de o laudo se tornar um "esforço inútil". Com esse entendimento, a Terceira Turma do Superior Tribunal de Justiça (STJ) atendeu ao recurso da empresa Cardsystem UPSI em uma ação movida pelo Banco Prosper S/A. O banco alega que houve deficiência nos serviços prestados e quer a rescisão do contrato, com pagamento de indenização. O juiz de primeiro grau nomeou perito contábil, mas a Cardsystem . . .

Este conteúdo é restrito a assinantes.

Por favor, faça seu login.

Não é assinante? Faça agora sua assinatura!

Americanas