Corporativa

GRI lança modelo global de balanço social

O principal salão de conferências do Hotel Okura, em Amsterdã, ficou subitamente as escuras ontem por volta do meio-dia. As quase mil pessoas que estavam lá foram surpreendidas por uma voz feminina forte, que tomou conta do espaço com uma canção turca. Foi o início de uma sucessão de falas e cantos de mulheres espalhadas pelo local. Às vezes suaves, às vezes contundentes, elas entoavam diferentes melodias, em diferentes momentos, em idiomas difíceis de serem identificados, num diálogo quase impossível. Aos poucos as canções foram se . . .

Este conteúdo é restrito a assinantes.

Por favor, faça seu login.

Não é assinante? Faça agora sua assinatura!

Americanas