Tributária

Debêntures da Vale do Rio Doce garantem crédito

O INSS havia recusado a oferta das debêntures, alegando padecer de efetiva liquidez, apresentando como principais motivos o fato de pertencerem a terceiro que ainda deveria repassar escrituralmente sua titularidade à executada; de serem negociadas em segundo plano no mercado de capitais, o que emperraria a questão da liquidez; de laudo de perito, expedido em 2004, não ter assentado a credibilidade dos valores alegados para as debêntures ofertadas.De acordo com a Asa Agro Industrial de Alimentos, as debêntures são autorizadas pela CVM, Associação Nacional das Instituições do Mercado Aberto . . .

Este conteúdo é restrito a assinantes.

Por favor, faça seu login.

Não é assinante? Faça agora sua assinatura!

Americanas