Adm. Tributária

Tinha um imposto no caminho

No ano passado, a Gerdau comprou 12 empresas no exterior, acelerando ainda mais o ritmo da internacionalização de seus negócios. O grupo, que começou as operações em 1901 com a Fábrica de Pregos Pontas de Paris, em Porto Alegre, é hoje a 13ª maior produtora de aço do planeta. Assim como a Gerdau, várias outras companhias brasileiras têm procurado turbinar a presença no exterior. O objetivo geralmente é o mesmo: buscar a melhor vantagem competitiva para a produção e comercialização. No entanto, uma vez definido rumo da internacionalização, a grande preocupação passa a ser a questão tributária – mais precisamente, as vantagens fiscais a serem obtidas nos países que receberão os investimentos.

É o que mostra a pesquisa International Business Report, elaborada pela Grant Thornton International, que é representada no Brasil pela Terco. O estudo, que ouviu 7.800 empresários em 34 países, revela que a busca por cargas tributárias mais baixas é uma das maiores preocupações dos empresários brasileiros que optam por realizar negócios no exterior. "As respostas das empresas brasileiras mostram uma propensão a sempre procurar os países em que o lucro bruto tem menos descontos", afirma Sérgio Kubiak, sócio da Terco Grant Thornton, empresa de auditoria e consultoria trabalhista e tributária.

De acordo com o estudo, 66% dos empresários brasileiros disseram que a redução do imposto sobre o lucro é importante. No entanto, para 77% deles, o que pesa ainda mais na hora de abrir portas no exterior é a suspensão do pagamento de impostos. Outro dado interessante está no fato de que os brasileiros se preocupam mais com os tributos que incidem sobre a folha de pagamento do que os estrangeiros – 32% têm essa preocupação como prioridade, contra 24% da média geral.

Embora a pesquisa tenha sido divulgada recentemente, as entrevistas foram realizadas no início do ano – antes da eclosão da crise econômica. Para Kubiac, a conjuntura desfavorável tende a elevar o peso da questão tributária. "Em tempos difíceis, os impostos passam a ter um valor muito grande na hora em que as empresas estipulam suas estratégias", explica.

Além de ter que conviver com uma elevada carga tributária, o Brasil tem ainda outra fama: a pesquisa aponta que, quando as empresas de fora pensam em investir no país, acabam se assustando com a legislação brasileira – considerada muito complexa e difícil de ser interpretada.

Print Friendly, PDF & Email
Americanas

Comentário fechado