Tributária

Selo Fiscal para vinhos contribui para controlar distorções no mercado

A importância da adoção de selo fiscal para vinhos nacionais e importados, como instrumento de controle das distorções de mercado, foi debatida na 12ª reunião da Câmara Setorial da Cadeia Produtiva de Viticultura, Vinhos e Derivados, nesta quarta-feira (3), em Brasília. ?Em julho deste ano, o governo começou a exigir o selo para os casos de sangrias e coquetéis e a expectativa é que, a partir de primeiro de janeiro de 2009, esses produtos estejam completamente controlados. Nossa reivindicação é adotar essa medida para todos os tipos de vinhos?, explicou o presidente da Câmara, Hermes Zaneti.

Em relação às prioridades do setor para 2009, Zaneti ressaltou a importância de controlar o mercado dos produtos que imitam o vinho e reduzir a carga tributária para que o Brasil possa se equiparar aos demais países viticultores. ?Além disso, precisamos disciplinar a importação desse produto por países, tanto do Mercosul, como a Argentina, como no caso do Chile, em que temos acordos bilaterais?, enfatizou.

Print Friendly, PDF & Email
Americanas

Comentário fechado