Tributária

Serra anuncia medidas de estímulo ao emprego e à economia

Para aquecer a economia e combater a crise financeira, o governador José Serra apresentou, nesta quinta-feira, 12, um conjunto de medidas de estímulo à atividade econômica divididas em cinco grandes eixos: garantias para o investimento público, para o investimento privado, apoio às micro e pequenas empresas, expansão do crédito e geração de emprego. Entre as ações, Serra afirmou que vai garantir a execução e antecipação do programa de investimentos do Estado, que prevê a aplicação de recursos de R$ 20,6 bilhões em 2009, que garantirão 858 mil empregos no Estado.
As medidas
Na garantia do investimento público, Metrô e CPTM devem receber aporte de R$ 4,217 bilhões; Transportes, R$ 5 bilhões; Saneamento e Segurança, pouco mais de R$ 1 bilhão cada. O governo autorizou a antecipação para o primeiro quadrimestre do ano a compra de bens duráveis, o que traz economia para o Estado devido aos preços mais baixos, e também decidiu inverter as fases do processo licitatório, o que tornará mais célere o processo, porque diminuirá o número de recursos administrativos.
No campo dos incentivos aos investimentos privados, o objetivo é desonerar setores estratégicos, permitindo o adiamento do ICMS pago na aquisição de bens de capital. O foco será nos setores que geram mais empregos no Estado de São Paulo. Serra ainda instituiu o chamado "drawback paulista", suspendendo o ICMS na aquisição de insumos destinados a produção de bens para exportação dos setores estratégicos para o emprego. Outra medida prorroga a redução de alíquota do ICMS de 18% para 12% até 31/12/2009. "Essas ações propiciarão um significativo estimulo à atividade econômica do Estado", disse o secretário estadual da Fazenda, Mauro Ricardo.
Os micro e pequenos empresários terão acesso facilitado aos empréstimos do Fundo de Aval Estadual (FDA) para empréstimos, já que o governo irá equalizar a taxa de juros em financiamentos concedidos a micro e pequenas empresas, por meio do Programa ME Competitiva e reservar as compras até R$ 80 mil às micro e pequenas empresas nas compras governamentais.
Para expandir o crédito, Serra anunciou o aperfeiçoamento das linhas de crédito disponibilizadas pela Nossa Caixa, a abertura de uma linha de crédito no Banco Nossa Caixa para pagamento da parcela do ICMS diferido para fevereiro e outra linha de crédito, esta do FUNCET, para projetos de inovação e pesquisa.
No rol de medidas de geração de emprego e empreendedorismo, Serra disse que vai implantar o programa Microempreendedor Individual (MEI) até o início de julho deste ano, além de aumentar em 56% os recursos aplicados no programa de microcrédito operado pelo Banco do Povo Paulista (BPP). O secretário estadual de Emprego e Relações do Trabalho, Guilherme Afif, complementou os anúncios da área com informações sobre o Emprega São Paulo, site que reúne profissionais em busca de novas oportunidades e empresas que querem contratar. "O portal oferece, hoje, 12.700 vagas, melhorando a velocidade da intermediação de empregos, o que é fundamental num momento de crise como este", afirmou.
Sobre a crise
"Estamos diante de uma crise de grande impacto. Basta lembrar que a produção industrial no último trimestre, comparativamente ao mesmo trimestre do ano anterior, caiu 6,2%. Esse é um dado sintético que mostra o impacto desta crise. Boa parte desta queda em São Paulo". Na sequência, Serra explicou que o país está diante de uma crise cujo tamanho ainda não se conhece em escala internacional. "Não se sabe qual será a perda de riqueza no mundo desenvolvido. Temos uma situação muito incerta daqui para diante. O que temos de fazer é trabalhar", completou.

Print Friendly, PDF & Email
Americanas

Comentário fechado