Corporativa

IFRS para pequenas e médias é mais custoso, diz CPC

Nina Alves
Contratar uma equipe especializada, pagar treinamento para contadores e implantar sistemas que facilitem o gerenciamento de informações nos moldes do novo padrão de contabilidade, IFRS, obrigatório a partir de 2010, podem gerar custos mais significativos nos resultados de pequenas e médias empresas que de negócios de maior porte.
Mesmo assim, segundo o presidente da Directa Auditores e vice-coordenador técnico do CPC, Ernesto Rubens Gelbcke, os benefícios tornarão o sistema mais atraente para o segmento. ?A expectativa é que cada vez mais companhias adotem o padrão, pois traz mais eficiência de gestão, competitividade e redução de gastos no longo-prazo?, explicou.
De acordo com levantamento da Fipecafi, 85% das empresas de capital fechado não possuem um balanço organizado.
?Com certeza, os débitos que uma contabilidade mal gerenciada trazem são muito maiores. Os juros de um empréstimo são mais elevados, pois balanços desestruturados geram menos transparência quanto à saúde dos negócios e a capacidade de pagamento, por exemplo. Além disso, gastos com advogados na hora de apagar incêndios são muito maiores que com a implementação do IFRS?, complementou.
Conforme analisou Gelbcke, os custos da transição variam conforme a complexidade da empresa. ?Se ela já está bem estruturada com a contabilidade de seus balanços, investirá muito menos que uma outra que terá de começar do zero. Na verdade, todos esses desembolsos remetem a uma correção do que já deveria ter sido feito no passado?, disse.

Print Friendly, PDF & Email

Comentário fechado