Corporativa

Desafios da convergência contábil

Cada vez mais investidores estão à procura de informações financeiras de alta qualidade e acreditam que o uso dos International Financial Reporting Standards (IFRS) [padrão contábil internacional que está sendo adotado no Brasil – nota do editor] seja também uma oportunidade excelente de se realizar a comparação entre empresas de diversos setores globais.
Quanto maior for o crescimento da demanda por informações financeiras com base nas normas IFRS, mais uniforme deverá se tornar o campo de atuação. Assim, será permitido que os investidores tenham uma perspectiva comparativa cada vez mais eficaz dos resultados financeiros de diversas empresas.
Sob este ponto de vista, a possibilidade de adoção de um padrão contábil globalmente aceito aumentou o interesse das empresas brasileiras em compreender e aplicar os IFRS.
Entre os benefícios da adoção da padronização contábil global, que está em vigor no Brasil desde 1º de janeiro de 2010, estão a redução da complexidade para a análise das informações financeiras, maior transparência, comparabilidade e eficiência.
Esse movimento de convergência traz também uma série de desafios. No Brasil, a Lei número 11.638, de 2007, contribuiu para acelerar o processo de convergência entre as práticas contábeis adotadas no País até o dia 31 de dezembro de 2009 e as normas contábeis globais IFRS.
Entretanto, o processo de aprovação dos Pronunciamentos Contábeis e sua aplicação sofreram atrasos. Em consequência desses atrasos, as companhias abertas, bem como as instituições financeiras que atuam no Brasil, precisam acelerar o passo para se adequar aos IFRS.
Os executivos das áreas contábil, fiscal e financeira, além das diferenças mensuráveis entre os dois conjuntos de normas, precisarão levar em conta alguns pontos importantes, entre os quais se destacam:
Princípios versus regras
A adoção de padrões baseados em princípios exigirá uma mudança de mentalidade e de abordagem, pois os International Financial Reporting Standards têm menos regras e mais julgamento na contabilização de uma transação;
Considerações de valor justo
Os conceitos sobre valor justo (fair value) são pouco difundidos e aplicados pelas empresas brasileiras para fins de registro de transações e manutenção de saldos de ativos e passivos em BR GAAP (Generally Accepted Accounting Principles). No entanto, nos IFRS existem cerca de vinte pronunciamentos contábeis visando a mensuração e o reconhecimento de transações monetárias e não monetárias a fair value;
Considerações sobre conversão e convergência
Esses dois termos parecem iguais, mas têm significados diferentes. Conversão é a transição geral para um novo conjunto de normas contábeis.
Convergência é a nova redação dada a uma norma contábil de cada vez, sendo que esses termos podem ocorrer em períodos diferentes;
Considerações relativas à primeira adoção
A IFRS 1 oferece exceções em razão da necessidade de conformidade com determinados aspectos dos IFRS na adoção inicial, em que o custo poderá exceder potencialmente os benefícios dos usuários das demonstrações financeiras consolidadas;
Diferenças na contabilização do Imposto de Renda
Embora o IAS 12 e o BR GAAP tenham muito em comum, existem diferenças entre as duas normas. Uma avaliação fiscal com base nos International Financial Reporting Standards provavelmente irá identificar posições fiscais e métodos de contabilidade tributária que podem sofrer impactos devido às mudanças das normas de elaboração de relatórios financeiros;
Controles internos e elaboração de relatórios financeiros
Provavelmente a adoção de um único padrão global de normas contábeis como os IFRS resulte em eficiência e melhoria dos controles internos das empresas. Para isso, diversos processos de elaboração de relatórios deverão ser avaliados e/ou harmonizados;
Sistemas Operacionais
Os sistemas operacionais atuais podem não oferecer funcionalidade necessária para lidar com as exigências dos International Financial Reporting Standards e, dessa forma, os requisitos relativos a informações financeiras devem ser identificados, e o impacto desses requisitos sobre os modelos de dados existentes deve ser avaliado;
Estabelecimento de cronograma para a implementação do IFRS
A conversão para os International Financial Reporting Standards exigirá o estabelecimento de um cronograma que cumpra uma transição cuidadosa e resulte em uma estrutura sustentável de elaboração de informações financeiras com base no novo modelo contábil. No entanto, para essas organizações, ajustar-se aos IFRS representa, mais do que um desafio, uma obrigatoriedade.
É uma grande oportunidade de integrar-se à nova linguagem internacional da contabilidade, e favorecerá o entendimento das demonstrações financeiras por parte dos investidores, e dos órgãos reguladores nacionais e internacionais.

Print Friendly, PDF & Email
Americanas

Comentário fechado