Tributária

Comissão aprova zona de exportação na fronteira do RS

A Comissão de Desenvolvimento Econômico, Indústria e Comércio aprovou nesta quarta-feira proposta que permite a criação de uma Zona de Processamento de Exportação em municípios da faixa de fronteira no Rio Grande do Sul.
O texto aprovado é o substitutivoEspécie de emenda que altera a proposta em seu conjunto, substancial ou formalmente. Recebe esse nome porque substitui o projeto. O substitutivo é apresentado pelo relator e tem preferência na votação, mas pode ser rejeitado em favor do projeto original. do deputado Renato Molling (PP-RS) ao Projeto de Lei 2410/07, do deputado Vieira da Cunha (PDT-RS). A proposta original autorizava o Executivo a criar uma Área de Livre Comércio (ALC) na região.
O substitutivo mantém como beneficiários os municípios pertencentes às microrregiões Campanha Ocidental, Campanha Central, Campanha Meridional, Jaguarão e Litoral Lagunar. O objetivo da proposta é reduzir as desigualdades regionais na faixa de fronteira.
O relator explica que as ALCs prevêem isenção de tributos incidentes sobre mercadorias nacionais e estrangeiras quando elas se destinarem ao consumo interno e à exportação. Já existem no Brasil ALCs em Tabatinga (AM), Guajará-Mirim (RO), Boa Vista (RR) e em Macapá e Santana (AP).
As Zonas de Processamento de Exportação (ZPE), previstas há mais de 20 anos na legislação, ainda não foram implementadas. Nas ZPEs, as indústrias recebem benefícios fiscais e administrativos para os produtos destinados à exportação, o que, para o relator, seria mais adequado à região de fronteira do RS.
Molling acredita que a ALC é uma política econômica de alcance reduzido, que se aplica mais a regiões isoladas, com atividade econômica pouco dinâmica, como é o caso da Amazônia.
Tramitação
A proposta, em tramitação conclusiva, ainda será analisada pelas comissões de Finanças e Tributação; e de Constituição e Justiça e de Cidadania.

Print Friendly, PDF & Email
Americanas

Comentário fechado